Castro Soromenho

27/03/2010

Fernando Mourão: Roger Bastide e Angola – a Lunda – na obra de Castro Soromenho

“Castro Soromenho escreve uma obra ímpar em Portugal. Não é compreendido. “História de negros”, dizem alguns, habituados que estavam a uma literatura fácil que se alimentava no exótico.

Seus contos e novelas e, mais tarde, seus romances obtêm boa divulgação. Mas poucos, muito poucos, entendem a obra. Foi necessário entrar na segunda fase, que Roger Bastide intitula, em conjunto com a primeira, Duas Águas, título sugestivo emprestado do poeta brasileiro João Cabral de Mello Neto, para que a crítica portuguesa entendesse que não se trata de “história de negros”, mas sim de um vasto e longo plano literário que mostrava a África com suas forças próprias e sua individualidade.” (Fernando Augusto de Albuquerque Mourão)

O clássico artigo do Prof. Fernando Mourão pode ser encontrado no sítio da revista Afro-Ásia  (ou aqui Bastide A Lunda na obra de Castro Soromenho).

Anúncios

Blog no WordPress.com.