Castro Soromenho

29/09/2011

Acervo Castro Soromenho: relatório Huambo

Filed under: Acervo Castro Soromenho — Tags: — sobrecs @ 9:54

Na página Artur Ernesto de Castro Soromenho, disponibilizamos o texto completo do relatório Huambo: Dez Mezes de Administração, setembro 1912 – junho 1913 em pdf.

 

Anúncios

25/09/2011

O Diário de Lisboa na morte de Castro Soromenho

Castro Soromenho morreu em 18 de junho de 1968, no exílio, em São Paulo, Brasil. No dia quatro do mês seguinte, o Suplemento Literário do Diário de Lisboa (n. 518/4) publicou quatro artigos sobre o escritor: “Um homem de perfil”, por José Cardoso Pires; “O primeiro romancista de temas africanos”, por Manuel Ferreira; “Um edifício admirável”, por Roger Bastide; e “Na morte de Castro Soromenho”, por José Augusto França.

Os artigos estão disponíveis no Diário de Lisboa, Casa Comum, Fundação Mário Soares. Agradecemos a Vergilio Deniz Frutuoso a indicação do sítio.

Manuel da Fonseca, Joaquim Figueiredo Magalhães, Cardoso Pires e Castro Soromenho 1959/60.

Castro Soromenho, Le Havre, 1965, antes da partida para o Brasil.

Jantar em homenagem ao Prof. Vieira da Almeida. Na parte de cima: 2. José Augusto França; 3. Fernanda França; 4. Castro Soromenho; 5. Mercedes de la Cuesta; 7. Mário Soares.

Provavelmente, a última foto de Castro Soromenho, com Jacques Kotsky e Maria Amélia Padez.

24/09/2011

José Augusto França: Terra Morta de Castro Soromenho – edição e reedição

 “É um romance de há trinta anos que não envelheceu. Ela fala-nos duma experiência angolana, que foi a da juventude do Autor, e dum colonialismo triste e pobre, que foi o nosso. Ao cabo dele, o romance aparece em Portugal, ao mesmo tempo que aqui vêm dar milhares de vítimas do que ele conta e denuncia. Destino estranho, o desta obra severa que leva a verdade da terra que descreve, nos confins da Lunda, à verdade dos homens que lá vivem uma história sem história, numa vila morta dentro dum passado perdido.”

O artigo, de 1975, está disponível no sítio da revista Colóquio da Fundação Calouste Gulbenkian .

José Augusto França publicou três outros artigos sobre Castro Soromenho (o primeiro e o último ainda não disponíveis na rede):

a) Terra Morta, romance de Castro Soromenho. Seara Nova, 28 (1131) : 149-51, 10 set. 1949;

b) Na morte de Castro Soromenho. Diário de Lisboa, 4 jul. 1968. Suplemento Literário, no 518;

c) Castro Soromenho nota brevíssima à sua memória. África: Revista do Centro de Estudos Africanos, USP. S. Paulo, 11 (1): 3-4, 1988.

19/09/2011

Letícia Valandro – Cultura e identidade: o cerne da ação e reação imperialista

 “Através da análise de duas obras de autores africanos – A Chaga, do angolano Castro Soromenho e A Última Tragédia, do guineense Abdulai Sila – buscar-se-á identificar a relevância que os elementos culturais do imperialismo português tiveram para sua dominação na África. Em relação oposta a isso, apresentar-se-á, ainda, a cultura como fator relevante para tomada de consciência e reação, bem como essencial para a (re)construção da identidade africana, a qual se torna híbrida, constituída através do entrelaçamento de características culturais do colonizador a elementos da cultura do colonizado.”

O artigo está disponível em pdf  na revista Cadernos do IL, Porto Alegre, n.º 37, dezembro de 2008.

Blog no WordPress.com.